Processamento de Alimentos

Ligue-nos para uma Inspecção Gratuita para 808 20 20 18  ou Contacte-nos

Fiabilidade aliada à experiência de 35 anos em Portugal

Certificados na Norma NP EN 16636 e ISO 9001

Soluções inovadoras, eficazes, rápidas e discretas

Tendências Globais no Processamento de Alimentos

A Indústria do Processamento de Alimentos é um sector maduro que está a passar por um período turbulento devido às crescentes exigências globais em termos de Segurança Alimentar, aumentando a insegurança alimentar e a procura dos consumidores por maior qualidade e sustentabilidade.

Existe um impacto económico significativo de se ter uma Segurança Alimentar mal conseguida se as cadeias modernas de abastecimento alimentar forem avaliadas incorrectamente e não existir mitigação de riscos. Mesmo um pequeno impacto numa cadeia de abastecimento pode ter um enorme impacto económico. A Indústria Alimentar globalmente está avaliada em cerca de 2 trilhões de dólares americanos e contem mais de 400.000 Empresas.

Em 2011, estima-se que 48m Americanos adoeceram e 128k foram hospitalizados como resultado de problemas de higiene alimentar. O custo para a economia dos EUA foi de $77.7bn.

Fonte: CDC, Centre for Disease Control and Prevention, 2011

O Processamento de Alimentos sofre também o impacto significativo de múltiplos factores externos, incluindo tendências económicas, alterações climáticas, mudanças demográficas, mercados de energia emergentes, novas parcerias comerciais e previsões de crescimento populacional a nível Mundial.

A cadeia de abastecimento alimentar de hoje em dia é mais globalizada, mais extensa e mais complexa do que nunca. Com as crescentes importações e exportações, os alimentos processados dependem de cadeias de fornecimento mais longas, o que representa um grande desafio para se garantir a Segurança Alimentar.

O conteúdo apresentado em baixo aprofunda as principais tendências que afectam o Sector do Processamento Alimentar e as suas implicações para a evolução da Indústria.

Tendências socioeconómicas que impactam o Processamento Alimentar

Em diversos Países, a Indústria do Processamento de Alimentos é um dos principais contribuidores para a saúde da economia Nacional. Da mesma forma, o Sector sofre o impacto tanto da economia local onde ocorre a produção como da economia global em termos da logística alimentar e importações e exportações.

Principais regiões de produção

De acordo com a European Food and Drink Industry existem três regiões Mundiais líderes de produção:

  • UE - 44% de volume de negócio
  • EUA - 20% de volume de negócio
  • China - 19% de volume de negócio

O volume de negócios da Indústria de Processamento de Alimentos e Bebidas da UE, é por si só, o dobro do dos EUA e China juntos.

Demanda crescente por alimentos

Para alimentar a crescente população Mundial, a qual se prevê que atinja os 9.3 biliões em 2050, a produção agrícola precisa de crescer em 70% e em quase 100% nas economias em rápido crescimento.

Alterações demográficas

Em 2030, a Índia terá a maior população do Mundo, representando 1/3 da população Asiática e 17% da população Mundial.

Na verdade, em 2050, a Índia, China, Indonésia, Filipinas e Paquistão representarão mais de 50% da população Mundial.

Consumo e Urbanização

Em 2050, dois terços da população Mundial viverá em cidades, aumentando a procura por alimentos processados e proteína de carne – na Ásia o consumo de proteína aumentou em cerca de 128%.

Alterações do poder económico

Em 2030, os Países do E7 (China, Índia, Brasil, México, Rússia, Indonésia e Turquia) irão ultrapassar o G7 (Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos da América) em tamanho e poder de compra.

O aumento da procura e o crescimento das exportações e importações nos principais mercados emergentes fazem da Segurança Alimentar e da Higiene Alimentar uma prioridade neste Sector.

Alteração global na procura

Os mercados emergentes (Índia, Indonésia, China e Malásia) impulsionarão, cada vez mais, o crescimento global. A participação das exportações e importações de produtos alimentares e bebidas nestes mercados estão a crescer rapidamente. O Processamento de Alimentos mudará, cada vez mais, para estes mercados, para estar próximo de uma crescente base de clientes.

Prosperidade

65% da classe média Mundial estará a viver na região Ásia Pacífico em 2030. O aumento dos rendimentos nas economias emergentes impulsionará a procura por produtos alimentares manufacturados.

Factores macro no Processamento Alimentar

A complexidade das cadeias modernas de abastecimento é apenas um dos factores reconhecidos afectar o Processamento de Alimentos actualmente. Já não é suficiente mitigar o risco na unidade primária de processamento e fabrico. Para garantir verdadeiramente a Segurança Alimentar hoje em dia, as Empresas precisam de avaliar os níveis de risco ao longo de toda a cadeia de fornecimento, de uma ponta à outra.

O aumento do custo da matéria-prima afectará o custo dos danos em caso de Infestações de Pragas. Este facto aumenta a necessidade nas Empresas de assumirem acções recomendadas para prevenir, reduzir e controlar Infestações de Pragas.

Tendências macro e suas implicações

  • Continuação da consolidação do mercado - Aumento da actividade M&A (Kraft & Heinz, AG Barr & Britvic). Economias de escala e redução de custos para aumentar as receitas e proteger o fornecimento de matérias-primas.

  • Optimização da cadeia de abastecimento - Processos de distribuição melhorados e garantias da parte dos Fornecedores para reduzir a ameaça de fraude e de terrorismo ao longo da cadeia de abastecimento (por exemplo: garantir a autenticidade do ingrediente).

  • Custos das matérias-primas - Aumento do preço da água e dos ingredientes devido às secas e mudanças climatéricas.

  • Riscos emergentes de Segurança Alimentar - Muitas regiões atrás da Europa em QMS/HACCP. Vírus patogénicos transmitidos por alimentos (Norovirus, Hepatitis) com foco principal no Campylobacter (galinhas, predominantemente).

  • Responsabilidade ambiental - Emissões de gases com efeito estufa, desflorestação, degradação do solo, práticas agrícolas.

  • Custo da energia - Redução de resíduos, incluindo o menor uso de embalagens, reciclagem.

  • Responsabilidade Social - Iniciativas globais de "comércio justo".

  • Alterações Climatéricas - Condições meteorológicas extremas que conduzem a cheias e secas (escassez de água e recursos). Épocas de crescimento mais longas.

  • Aumento das Regulamentações - Quantidade de regulamentos a crescer constantemente. Os regulamentos tornam-se cada vez mais rigorosos - forçando os fornecedores a melhorar a segurança desde o início (agricultura) da cadeia de abastecimento. Nova Lei FSMA - exige que a FDA inspeccione todas as instalações de exportação para os EUA para garantir que há cumprimento. Consolidação de auditorias para planos harmonizados - harmonia nos regulamentos dos mercados para seguir as recomendações do GFSI e do Codex Alimentarius.

Segurança Alimentar no Processamento de Alimentos

Para além de todas estas tendências que se prevê que afectem a procura, a produtividade e o custo das matérias-primas, os consumidores, os clientes e a Legislação exigirão uma transparência ainda maior em termos de Segurança Alimentar e da qualidade dos alimentos.

A procura por transparência em relação aos locais de origem dos alimentos e uma tendência crescente para a saúde e sustentabilidade e produção ética de alimentos também afectarão a evolução do Sector do Processamento Alimentar em 2016 e posteriormente.

O papel do Controlo de Pragas na Segurança Alimentar

O Controlo de Pragas inclui, nomeadamente, programas de pré-requisitos (PPR) para o fabrico de alimentos e faz parte das BPF que ajudam a tornar eficaz um programa HACCP.

Com grandes preocupações em relação aos principais desafios de Pragas que os Processadores de Alimentos enfrentam (Roedores, Insectos Voadores e Baratas), será cada vez mais importante que os fabricantes se associem a um fornecedor de Controlo de Pragas confiável e acreditado para mitigar o risco de Pragas, garantindo assim, conformidade em auditorias.

O papel da higiene na Segurança Alimentar

A higiene ocupa um lugar proeminente nos programas de pré-requisitos relacionados com a higiene pessoal e saneamento básico, entre outros.

As consequências da falta de higiene podem ser dramáticas para uma Empresa e irão incluir incumprimento, violação de Regulamentos de Segurança, retirada de produtos e, obviamente, intoxicação alimentar.

Para mitigar o risco, a garantia de higiene através da parceria com fornecedores credenciados (EN 16636, BRC e AIB) será crucial.


Mais Informação & Próximos Passos

Encontre a SUA Delegação

Código Postal